SP: Servidores do Tribunal de Justiça mantêm estado de greve

Nova assembleia foi marcada para o dia 8 de abril

Nesta quarta-feira (23/03), os servidores do Tribunal de Justiça de São Paulo reuniram-se para mais uma assembleia-geral. Esta foi a primeira assembleia presencial em mais de dois anos e ocorreu na Praça João Mendes, na capital.

Com trabalhadores de diversas regiões do estado, o encontro contou também com a presença dos deputados estaduais do PSOL Carlos Giannazzi e Mônica Seixas e da vereadora de São Paulo, também do PSOL, Luana Alves.

“Eu e o Giannazzi viemos, como sempre fizemos apoiar a luta dos servidores. Estamos há um tempo discutindo a situação acachapante e precária dos servidores. A população em geral quando falamos em TJ, as pessoas pensam no juiz, nos privilégios e super salários, mas a gente precisa dizer que o atendimento feito à população, a Justiça é feita pelas servidoras e servidores que estão aqui lutando por reparação salarial”, expôs Mônica.

Aliás, o abismo de tratamento dispensado pelo Judiciário paulista aos desembargadores/juízes e os servidores foi bastante lembrado ao longo da assembleia, como por exemplo as seguintes situações: o encaminhamento de Projeto de Lei à Alesp solicitando o quinto assistente nos gabinetes dos desembargadores e juízes; pedido de bônus no salário de juízes alegando excesso de trabalho, enquanto os servidores acumulam cada vez mais serviço e sequer recebem a data-base; majoração do auxilio-saúde para desembargadores e magistrados que chega a R$ 3.500 enquanto a categoria recebe apenas R$ 370,00.

Pauta de reivindicações aprovada

Em votação, a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2022. Entre os itens, além da reposição salarial e majoração dos auxílios, estão, melhorias nas condições de trabalho; realização de concursos para suprir os cargos vagos; políticas de inclusão e acessibilidade; flexibilização do horário de trabalho e pleitos específicos das diversas carreiras que compõem os quadros do TJ-SP.

Também foram aprovadas as seguintes deliberações:

– Criação de um Comando Estadual de Mobilização e Organização de Greve nas comarcas;

– Nova Assembleia Geral em 8 de abril;

– Reunião virtual (por aplicativo) do Comando Estadual de Mobilização e Organização de Greve no dia 30 de março.

 

 

Sobre o(a) autor(a) Ana Carolina Rios

Jornalista pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), bacharel e licenciada em letras pela Universidade de São Paulo (USP). Assessora de Comunicação da AASPSI Brasil desde 2012.