SP: Após ampla mobilização, votação da Reforma da Previdência é adiada

Com aprovação apertada no primeiro turno, governo decide adiar nova votação para março

E a mobilização deu resultado. Nesta quarta-feira (19/02) servidores públicos mais uma vez ocuparam as galerias e corredores da Assembleia Legislativa de São Paulo. Estava em pauta o segundo turno de votação da Proposta de Emenda à Constituição N° 18/2019. A proposta de alteração das regras de aposentadoria dos servidores foi aprovada em primeiro turno na terça-feira. No entanto, o placar foi muito apertado. O governo conseguiu exatos 57 votos, o mínimo necessário.

Após acaloradas discussões entre os parlamentares, o líder do governo acordou com as demais lideranças adiar a votação do segundo turno para o dia 03 de março.

A mobilização dos trabalhadores paulistas vem resistindo desde novembro quando o governador João Dória encaminhou à Alesp a PEC e o projeto de Lei N° 80/2019 ao Legislativo. Com uma tramitação atropelada, a proposta chegou a sofrer duas derrotas no Tribunal de Justiça de São Paulo, que concedeu duas liminares suspendendo a tramitação da PEC. A questão foi parar no Supremo Tribunal Federal (STF), que na terça-feira suspendeu as liminares.

Com mais este adiamento, as entidades representativas da classe trabalhadora ganharam mais tempo para reunir forças e intensificar a mobilização no trabalho de convencimento dos parlamentares a votarem contra a Reforma.

 

Sobre o(a) autor(a) Ana Carolina Rios

Jornalista pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), bacharel e licenciada em letras pela Universidade de São Paulo (USP). Assessora de Comunicação da AASPSI Brasil desde 2012.

Deixe um comentário